31 de dezembro de 2011

Feliz 2012


A todos vocês, um ótimo ano e excelentes festas.

Mas não se esqueçam, para os adoradores dos dragões, o ano começa de verdade, dia 23 de Janeiro.


A Batalha do Apocalipse - Parte 2

Olá gente.
No post anterior, informei que não prometi fazer uma resenha deste livro, mas decidi cumprir.
Hoje, de manhã eu terminei de ler, aliás, faz tanto tempo que eu não levava mais do que dois dias para terminar de ler um livro, independente do seu tamanho. Comecei a ler A batalha do Apocalipse uns dois dias antes de divulgar o post anterior.
Nem preciso dizer que adorei a história, apesar das suas idas e voltas no tempo, que me deixaram um pouco confusa, mas as horas que gastei lendo este livro foram bem aproveitadas.
Mas acho que não encararia tão cedo, o outro livro do mesmo Autor, Filhos de Eden, ainda estou desnorteada com o Primeiro livro.

Os anjos ainda estão um pouco longe de ser os seres fantásticos que mais gosto, porém, gostei muito de conhecer o Ablon, o Querubim Renegado e sua amiga feiticeira, a Shamira.
Mas o personagem que mais gostei foi o Miguel, primeiro, por ter uma certa queda por vilões e Anti-Heróis (quem leu as resenhas da trilogia Dragões de Eter, sabe do que eu estou falando) segundo, gostei de conhecer a história de um anjo que não é bonzinho, nem piedoso, que também pode ser movido pelas suas ambições, assim como os humanos.

Contudo, eu nao recomendaria esse livro para quem é religioso fervoroso, independente da religião, porque é muito facil para essa gente achar que o autor é um herege, sendo que se trata de ficçao pura, apesar do autor ter pesquisado bastante para escrever.
Para quem gosta da Saga Senhor dos Anéis e das Crônicas de Fogo e Gelo, vai gostar de ABdA, mas sinceramente, nao é o tipo de literatura que estou acostumada, portanto, se alguma critica minha ofender algum fã desses livros, por favor, leve isso em consideração.
Ablon, por Pricila Tramontano
Agora, graças a ABdA, to visitando o blog do Eduardo Spohr todo o dia para saber se ele vem a BH no ano que vem.

27 de dezembro de 2011

A Batalha do Apocalipse - e as minhas próprias batalhas

Olá gente.
Faz tempo né, desde a última postagem.
Mas tanta coisa aconteceu, que não tive mais tempo de pesquisar artigos, farei uma pequena lista para vocês:

Mudei de Cidade,
Mudei de Internet,
Mudei o corte de Cabelo,
Mudei de Emprego,
Mudei de Vida.


 Desta vez, o assunto não tem haver com dragões.

Tem haver com anjos.
Até que a capa é legal


Não, eu não deixei de gostar de dragões, do contrário, teria apagado este Blog.


Vou explicar, creio que aqueles que tem um mínimo de contato com literatura fantástica moderna já ouviu falar do livro A batalha do Apocalipse, do escritor brasileiro Eduardo Spohr.
Pois, creio eu, que depois de vampiros, os anjos são a modinha da vez.
Mas este livro vem me chamando desde que me mudei de cidade. Tem um exemplar dele em casa, deixado meio que de lado, pois eu estava preocupada com a faculdade.
Mas tive a impressão que tudo ao meu redor queria que eu lesse esse livro.
Por quê?


  • Metade dos meus colegas da Faculdade que eu tenho contato, já leram,
  • Paulo Coelho (eu gosto dele, e daí?) já leu,
  • Raphael Draccon leu,
  • ATÉ A MINHA MÃE JÁ LEU ESSE LIVRO!!!


E Todos foram unânimes em dizer o quanto ele é bom.
Então, hoje de manhã, antes de ir ao trabalho, me deparei com ele de novo.
Como eu já estou de férias da Facul e com algum tempo de sobra, já que atualmente eu trabalho seis horas por dia, decidi começar a ler.
Logo no primeiro capítulo, comecei a entender o porque ele está sendo considerado um dos melhores escritores da nova geração, e de ter vendido mais de 300 mil cópias (um escritor brasileiro conseguir isso, no Brasil, é uma façanha e tanto). Ainda estou lendo, mas não prometo nenhuma resenha por enquanto, apesar da história ter me agradado, o livro precisa ser lido com calma.

Até mais.



13 de junho de 2011

Accio 15/7

Aqueles que me acompanham desde o começo sabem que sou uma grande fã da saga harry Potter, tanto dos livros quanto dos filmes, e estou mais do que ansiosa para assistir este filme.

Navegando pelo site oficial, deparei com a seguinte imagem, e não pude deixar de compartilha-la com vocês.

Essa cena vai ser demais, o trio fugindo no dorso de um dragão cego!!




7 de junho de 2011

D. e C.F - Graoully

Salut les gars
para aqueles que já me acompanham e aqueles que cairam de para-quedas por aqui.

Para quem não sabe, costumo divulgar por conta própria, a coleção Dragões e Criaturas Fantásticas, da editora Planeta DeAgostini.
Faço isso com o objetivo de informar sobre dragões através da coleção.
E, hoje descobri que a França é o país dos dragões(o que justifica o "olá pessoal" em francês). Acabei de receber mais um dragão cuja lenda veio de lá. Graoully - O Terror de Metz.
Metz é uma cidade do noroeste francês, que, antigamente, começava a tremer com a chegada do anoitecer. Isto porque assim que o sol se punha, Graoully levantava vôo e iniciava a sua noite de caçada pelas ruas da cidade.
Não subestime as asas do bichinho.
Em poucas horas, este dragão monstruoso de olhos avermelhados e imponentes fileiras de dentes afiados devorava todos os cidadãos que ficavam ao seu alcance.
O dragão foi apelidado de Graoully, do alemão Graulich, que significa "aterrador".
Graoully tomou uma arena de Metz como morada, era um antigo anfiteatro romano, onde havia muitas cobras que faziam companhia para o bicho.
Clemente, um antigo discípulo de Pedro (um dos doze apóstolos de Jesus Cristo), foi enfrentar o dragão a pedido do povo, que não aguentava mais ficar a mercê do Graoully.
Ao se aproximar do bicho, Clemente pegou uma estola, que é aquele pedaço de pano bonito que os padres usam junto com a túnica durante as missas,  lançou-a no dragão, enrolando-a no pescoço, e foi puxando o Graoully como se fosse um cachorrinho obediente esse deve ter aprendido com Santa Marta. E foi levando o dragão até o rio Seille. Atirou o dragão na água e este foi levado pela correnteza, desaparecendo para sempre, o que não significa necessariamente que ele tenha morrido. E assim, livrou Metz e ainda converteu todos os habitantes ao cristianismo.

Agora, os links para os outros posts da coleção, que vieram da terra do Scargot.

Drac de Beaucaire
Gárgula
Tarasca
A Besta de Gévaudan (não é dragão, mas é francês)


31 de maio de 2011

D. e C.F. - O Grifo

Ah, finalmente passei da metade da coleção, e já to precisando de uma prateleira nova, quem tiver uma sobrando, e quiser fazer uma doação, clique na aba "contato", logo acima, e me mande um email.

Imagem Provisória (em breve, colocarei uma foto da minha miniatura)
O grifo é especial, pelo menos para mim, pois ele está em uma disputa acirrada com a fênix, pelo posto de criatura que mais gosto depois do dragão.
O bicho é demais, hibrido de dois animais nobres, a águia e o leão, ele pode voar rapidamente, como também pode correr.
O grifo era responsável por guardar os tesouros dos deuses, além de serem companheiros extremamente fiéis.
O bicho tem o tamanho de oito leões e a força de cem águias (ou seria o contrário?), possui garras tao grossas quanto os chifres de um touro.
Na época medieval, era extremamente famoso, pois aparecia frequentemente em brasões de reis, cavaleiros e nobres em geral, e também, trata-se de um simbolo cristão, pois a parte águia representa a divindade de Jesus Cristo, enquanto a parte leão, representa a sua humanidade.
Além de tudo, eles tem o poder de detectar venenos, suas garras escurecem com o simples contato com um.

Menção Honrosa: Hipogrifo

Esse, tenho certeza que, ao menos, já ouviu falar. Se não, tudo bem, ninguém é perfeito.
Gerado do cruzamento de um Grifo com sua pior inimiga, a égua, os hipogrifos são considerados domesticáveis, isto é, ao contrário dos grifos, que só poderiam ser montados por deuses, (e pelos irmãos Pevensie, de Crônicas de Narnia),
Mas com o orgulho que provavelmente, herdaram do pai (o grifo).
Mas o Hipogrifo só ficou conhecido mesmo graças a saga do Harry Potter, em que ele apareceu pela primeira vez no terceiro livro, O prisioneiro de Azkaban, ganhando um imenso destaque no mesmo.


26 de maio de 2011

Tarô do Dragão

Oi gente, enfim voltei, estou aqui para apresentar-lhes as imagens de dragao na versão mais curiosa que vi até agora.
Em cartas de Tarô!

São artes da sueca Alexandra Alexandersson, cuja maior parte dos desenhos, são de dragões.


A imperatriz
A Maga
O Hermitão (ou Heremita)
A Roda da Fortuna (minha favorita)
Os Enamorados
 Estas são apenas algumas das imagens, ficou cuiroso? Acesse a página do Deviantart da Artista.

11 de maio de 2011

Twisted Princess - Esmeralda

Este é um Post Off, em que divulgo os novos trabalhos da série Twisted Princess do artista Jeffrey Thomas,
Tá, não tem nada haver com o tema principal deste Blog, mas sou fã dele.
Também já divulguei as imagens da Tiana e da Rapunzel.
O desenho "O corcunda de Notre Dame, fez parte da infância de muita gente, inclusive a minha.
Para quem não assistiu, recomendo ver, pois é um daqueles desenhos da época em que a Disney nem sonhava em produzir animações em 3D.
A princesa da vez, é uma cigana, chamada Esmeralda, por quem Quasímodo, o corcunda, se apaixona.




Agora, a Versão Twisted!!


Detalhe para o Bode, medo
Confira as outras princesas e demais trabalhos do Artista clicando aqui

29 de abril de 2011

Harry Potter e as Reliquias da Morte - Parte 2

Saudações
Saiu o trailer oficial de harry Potter e as Reliquias da Morte, Parte 2.
Há muito tempo atrás, divulguei o trailer da parte 1 aqui no Blog. E vou assistir na estréia, assim como no ano Passado.





Vai ser épico, com certeza, pois, assim como eu, (e alguns de vocês que me acompanham) cresceu junto com os atores, o personagem e a história.

27 de abril de 2011

Firelight

Recentemente, eu li uma matéria no Omelete em que havia o seguinte título: Depois de Vampiros e Lobisomens, é a vez dos dragões.
Trata-se de uma noticia sobre uma produtora que comprou os direitos de um livro chamado Firelight, o primeiro livro de uma trilogia conhecida como Draki Series.
Apesar da capa ser linda e da história ter me chamado a atenção, eu estou esperando uma promoção boa para poder comprá-lo e posteriormente, postar uma resenha. 
Mas eu já li algumas resenhas e vi que se trata de um romance adolescente, mas não posso dizer se o livro é bom ou ruim, mas só pelo resumo, me fez lembrar da saga Crepúsculo.
Capa nacional, da Ediouro.

Jacinda é uma garota especial, uma Draki - descendentes meio-dragões, com o poder de alternar entre a forma humana e animal, - e ela é considerada rara, porque possui a habilidade de cospir fogo.
Num ato de rebeldia, Jacinda é obrigada, junto com sua familia a fugir para o mundo humano.
Enquanto ela se esforça para se adaptar, seu lado Draki desaparece, mas o único que consegue reviver esse lado da moça é o Will, um rapaz de uma familia de caçadores de dragões.

Pelo que já me contaram, a narradora é a Jacinda, até aí, nenhuma novidade, mas esses seres, os Draki, me interessaram muito. E se realmente um filme for lançado, vou assistir.

Agora, confiram o Book-trailer do Livro, legendado pela equipe do Blog Sobrelivros.

25 de abril de 2011

A arte do Origami

Todo mundo conhece a arte de dobrar papel, o Origami, que veio lá do Japão, mas poucos são aqueles que dominam essa arte. Eu só consigo fazer barquinho, coração e avião.
Mas para aqueles que não dominam, existem inúmeros tutoriais, encontrei alguns deles, dos mais interessantes que encontrei.

Arara



Tarântula



Um cubo que vira uma rosa (o mais legal, na minha humilde opinião)



E claaaaro, não poderia faltar, um dragão.


24 de abril de 2011

Feliz Pascoa

Eu sei que neste momento, você está comendo aquele ovo de chocolate ou aquela bacalhoada com a familia.
eu detesto bacalhau mas você não precisa saber disso, né? Espero que este feriado tenha sido excelente para você e toda a sua familia.

FELIZ PÀSCOA!!!

23 de abril de 2011

50 Posts e Video

Saudações
Este é o post de n° 50, para comemorar, dei uma leve mudança no layout, finalmente tomei vergonha na cara e fiz um banner para que você possa divulgar o Blog em seu Facebook, Orkut (isso ainda existe?), ou se você tiver um blog também, ficaria muito feliz se me dar essa força, e deixe seu link para que eu possa divulgar por aqui também.
O video de hoje é uma apresentação de lindas imagens de dragões ao som de Stand My Ground, do Within Temptation.



21 de abril de 2011

D. e C.F. - Tiamat


A imagem é da minha miniatura.
Chegou a Vez da Dragonesa primordial, Tiamat, Que segundo a mitologia Babilônica, existia desde o inicio dos tempos.
Tiamat era a encarnação dos oceanos, enquanto Apsu, seu companheiro, era a encarnação das águas doces.
Juntos, eles deram origem ao universo.
Enquanto Tiamat era a nervosa, Apsu era o calmo, que a completava.
Eles tiveram muitos filhos, que eram as divindades cultuadas pelos cidadãos da saudosa Babilônia, que para quem não sabe, era uma cidade antiga, capital de uma região chamada Suméria, onde atualmente existe o Iraque.
Mas o casal tiveram filhos demais, e chegou a um ponto que eles ficaram numerosos e poderosos, e o casal soube que eles queriam tirar o poder do casal, enfurecido, Apsu decidiu matar todos os seus filhos, contudo, eles se adiantaram e mataram o próprio Pai.
e eu que pensava que minha família é que era problemática;
E depois que Tiamat ficou viúva, ela reuniu um verdadeiro exercito, do tipo de deixar qualquer Tropa dos Aliados na Segunda Guerra Mundial no chinelo, e claro, por ser mitologia, havia seres fantásticos, como Homens-Escorpião, Furacões Terríveis, Dragões de todo tipo que você puder imaginar, trolls, orcs, fãs pré-adolescentes de um menino que parece menina (ou vice-versa) vampiros que brilham no sol, entre muitos outros.
Apenas MArduk, um jovem deus, ousou enfrentar a temível Tiamat (que estava mais perigosa do que nunca) . Lançou sobre ela uma enorme rede de malha grossa, e assim, conseguiu captura-la. Quando Tiamat ficou imobilizada, partiu o seu corpo ao meio, com o torso, criou o céu e as estrelas e, com os membros inferiores, a terra. Por ultimo, as lagrimas que brotaram dos seus olhos deram vida ao rio Tigre e Eufrates, o Berço da civilização Babilônica.
E Marduk, virou o fodão da vez, o todo-poderoso, senhor de todos os deuses.


Tiamat na Cultura Pop

Apear da lenda, Tiamat permanece presente para a chamada geração Y, (aqueles que nasceram de 1980 a 1990).
Principalmente por causa do desenho Caverna do Dragão, em que ela possuía cinco cabeças e era considerada indestrutível.


Também é uma adversária do Game Darksiders, 
Assustadora


E virou nome de uma banda de Gothic Metal da Suécia.
 Se você souber de alguma coisa que leva o nome de Tiamat, me informe nos comentários ou me mande um email ou deixe sua mensagem nos comentários.

11 de abril de 2011

Como os Programadores enfrentam Dragões

Saudações Pessoal!!
Vasculhando pela net, encontrei este texto bacana, porem antigo, mas creio que muita gente ainda não conhece.
Exte texto também serve para que os leigos tenham idéia de como são as linguagens de programação citadas.
Sem falar que tem tudo haver com a minha área, pois para quem não sabe, assim como boa parte dos blogueiros de hoje em dia, faço curso superior na área.
enjoy.


Java


Chega, encontra o dragão. Desenvolve um framework para aniquilamento de dragões em múltiplas camadas. Escreve vários artigos sobre o framework, mas não mata o dragão.

.NET

Chega, olha a idéia do Javanês e a copia, tenta matar o dragão, mas é comido pelo réptil.

ASP

Os componentes necessários para levantar a espada são proprietários e caros. Outros tantos componentes proprietários para achar a localização do dragão, e mais outros tantos a localização da princesa. Chama então seu amigo programador de PHP.

C

Chega, olha para o dragão com olhar de desprezo, puxa seu canivete, degola o dragão. Encontra a princesa, mas a ignora para ver os últimos checkins no cvs dokernel do linux.

C++

Cria um canivete básico e vai juntando funcionalidades até ter uma espada complexa que apenas ele consegue entender … Mata o dragão, mas trava no meio da ponte por causa dos memory leaks.

COBOL

Chega, olha o dragão, pensa que tá velho demais para conseguir matar um bicho daquele tamanho e pegar a princesa e, então, vai embora de volta ao seu mundinho.

Pascal

Se prepara durante 10 anos para criar um sistema de aniquilamento de dragão… Chegando lá descobre que o programa só aceita lagartixas como entrada.

VB

Monta uma arma de destruição de dragões a partir de vários componentes, parte pro pau pra cima do dragão e, na hora H, descobre que a espada só funcionadurante noites chuvosas…

PL/SQL

Coleta dados de outros matadores de dragão, cria tabelas com N relacionamentos de complexidade ternária, dados em 3 dimensões, OLAP, demora 15 anos para processar a informação. Enquanto isso a princesa virou lésbica.

PHP

Pesquisa bancos de scripts e acha as classes de construção de espada, manuseio da espada, localização da princesa e dragão. Remenda tudo e coloca umas firúlas próprias.Mata o dragão e casa com a princesa. Como tudo foi feito com gambiarras, o dragão um dia vai ressuscitar e comer os dois.

Ruby

Chega com uma puta fama, falando que é o melhor faz tudo, quando vai enfrentar o dragão mostra um videozinho dele matando um dragão … O dragão come ele de tédio.

Brainfuck

Tenta, durante semanas, criar uma ordem lógica de + e – mas acaba ficando louco e achando que é o dragão que está em perigo, mata a princesa e veste a sua armadura-de-força.

Smalltalk

Chega, analisa o dragão e a princesa, vira as costas e vai embora, pois eles são muito inferiores.

ASSEMBLY

Acha que está fazendo o mais certo e enxuto, porém troca um A por D, mata a princesa e transa com o dragão. HAHAHAHAAHAHA

Shell

Cria uma arma poderosa para matar os dragões, mas na hora H, não se lembra como usá-la.

Shell (2)

O cara chega no dragão com um script de 2 linhas que mata, corta, stripa, pica em pedacinhos e empalha o bicho, mas na hora que ele roda, o script aumenta,engorda, enfurece e coloca álcool no fogo do dragão.

Fortran

Chega desenvolve uma solução com 45000 linhas de código, mata o dragão vai ao encontro da princesa …mas esta o chama de tiuzinho e sai correndo atrás do programador java que era elegante e ficou rico.

FOX PRO

Desenvolve um sistema para matar o dragão, por fora é bonitinho e funciona, mas por dentro está tudo remendado. Quando ele vai executar o aniquilador dedragões lembra que esqueceu de indexar os DBF’s.

CLIPPER

Monta uma rotina que carrega um array de codeblocks para insultar o dragão, cantar a princesa, carregar a espada para memória, moer o dragão, limpar a sujeira, lascar leite condensado com morangos na princesa gostosa, transar com a princesa, tomar banho, ligar o carro, colocar gasolina e voltar pra casa. Na hora derodar recebe um “Bound Error: Array Access” e o dragão come ele com farinha.

ANALISTA DE PROCESSOS

Chega ao dragão com duas toneladas de documentação desenvolvida sobre o processo de se matar um dragão genérico, desenvolve um fluxograma super complexo para libertar a princesa e se casar com ela, convence o dragão que aquilo vai ser bom pra ele e que não será doloroso. Ao executar o processo ele estima o esforço e o tamanho do estrago que isso vai causar, consegue o aval do papa, do Buda e do Raul Seixas para o plano, e então compra 2 bombas nucleares, 45 canhões, 1 porta aviões, contrata 300 homens armados até os dentes, quandona verdade necessitaria apenas da espada que estava na sua mão o tempo todo.

fonte: Thiago Belem

27 de março de 2011

10, dos inesquecíveis e melhores dragões da literatura

Oi gente, novo top de dragões, desta vez, vindo do excelente blog listas literárias, e como costumo fazer com posts vindos de outras fontes, deixo meus comentários em vermelho.


E vamos aos bichinhos

1. Smaug: O dragão roubou o tesouro dos anões e ficou tanto tempo deitado em cima das jóias que em sua barriga se formou uma armadura de diamantes. Smaug foi morto por Bard, o Arqueiro, com uma flecha certeira nesse ponto fraco, deste eu já falei, para saber mais, clique aqui e aqui

2. Eustáquio Mísero: Em A viagem do peregrino da alvorada o garoto irritante e mal-educado é transformado num dragão, o que acaba lhe mostrando as coisas duma outra maneira, e o garoto quando retorna a ser humano, torna-se outra pessoa; UOW

3. Saphira: O dragão ainda no ovo surgiu para Eragon.Quando o rei mandou os Ra'zacs para perseguir o garoto e a família, Saphira voou com Eragon forçadamente longe de Garrow . A partir de então eles começaram a treinar magia e luta com Brom, perseguindo os Ra'zac para vingar Garrow;  

4. Tintaglia: Um lindo dragão azul prateado remanescente da trilogia do livro Man Tawny, por Robin Hood; desse eu nunca ouvi falar

5. Romaniam Longhorn: É uma das criaturas mitológicas de Harry Potter. tem escamas verdes-escuras e longos chifres dourados faiscantes com os quais ele fura sua presa antes de assá-la. Quando moídos, os chifres desse dragão se tornam muito valiosos como ingredientes para poções; é o Chifres-Longos Romeno, para quem não sabe falar inglês, este dragão só foi citado no livro.

6. Glaurung: Foi o primeiro dos dragões, e por isso é conhecido como "pai dos dragões". De acordo com Tolkien, ele é o pai do resto de sua raça, ou pelo menos ninhada de Urulóki , dragões cuspindo fogo, sem asas. Ele foi criado por Morgoth de alguma ação desconhecida e foi o primeiro dragão a aparecer fora de Angband;
Tenho a impressão de ter lido sobre ele em O Silmarillion, mas faz tanto tempo que eu li esse livro, mas vou confirmar isso.

7 - Swamp Dragons (Draco vulgaris): Em Discworld são pequenos, fazem mal e tendem a explodir, devido à geração de vários tipos de gases em seu encanamento interno. Eles são, em suma, os dragões como eles teriam que estar em ordem para trabalhar em realidade. Swamp dragons são inexplicavelmente populares como animais de estimação, e há um número de diferentes raças. um dragão que explode? Isso eu gostaria de ver.

8 - Akhor: Numa sociedade de dragões telepatas Akhor é o rei; dragões telepatas???? LOL.

9 - Griaule: Um dragão enorme do trabalho de Lucius Shepard, Griaule foi congelada  por um antigo feitiço;
confesso, nunca ouvi falar deste.


10 - Koul: Na série Alosha, ele desenvolve pernas , uma cauda , asas e expira fogo. Para fazer isso, Koul deve arriscar sua vida para a protecção dos outros, aprender a nadar, e fazer um literal de "salto de fé "de um lugar alto; também, nunca ouvi falar.



Menções Honrosas: 
Aqui, cito outros dragões presentes na Literatura, também famosos, 


Rabo-Corneo Húngaro:  Harry Potter e o Cálice de Fogo
Noberto (ou Noberta): Harry Potter e a Pedra Filosofal
Obs: Ambos os dragões estão presentes nos respectivos filmes.
Banguela : Como Treinar o Seu Dragão. (aos desinformados de plantão, saibam que o filme foi baseado em um livro).
Scatha (Senhor dos anéis e O Retorno do Rei)
Temeraire: Da Série Temeraire.

Se souberem de algum dragão que merece ser lembrado, por favor, comentem!!

Concurso de Contos de Nova Ether

Intervenção


Estou tão nervosa, pois era a primeira vez que tive que sair da minha história para interferir em outra.
Ela, a semideusa que me criou e me escolheu.
Mas estou muito contente, não acreditava que fosse a escolhida, pois nem sou a sua preferida...


            Ah, desculpe, deixe-me apresentar.
            Meu nome é Mari, fui mandada para Nova Éther, pois fui escolhida entre muitos, para uma missão muito especial.
            Assim como esse mundo, também fui criada da imaginação de semideuses, na verdade, de uma Semideusa.
            Em um dos mares, eu voo rápido, pois  estou com pressa.
            O sol está para se por e preciso chegar logo.
            Estou sobrevoando o mais alto e o mais rápido que posso, isto é, estou a ponto de ultrapassar a velocidade do som. Sem sinais, por um momento, eu acreditei que não fosse chegar a tempo.
            Fazia uma semana que o Jolly Rogers havia sido ganhado um novo capitão, que mudou o seu destino, que será sombrio e aterrador.
            Porém, era esse o caminho que o seu capitão tinha que seguir.
            Então, eis que encontro o tal navio, de longe, nem parece que este é comandado por piratas.
            Eu desço aos poucos, e o navio que parecia um pontinho no meio do oceano, vai ficando cada vez maior.
            E maior...
            E maior...

            Então, passa a começar a fazer sentido o porquê Dela ter me escolhido.
            Os outros eram pesados, e certamente, pousariam na água, enquanto eu sou mais leve e mais graciosa.
            Enquanto desço, vejo olhos de jovens e crianças me vendo, pois, modéstia a parte, eu sou fantástica.
            E, afinal, sou uma dragonesa em Nova Éter, mas fui remoldada no éter para vir a este mundo.
            Sou do tipo Wyvern, isto é, uma dragonesa que só possui as patas inferiores (equivalente as pernas) e as asas, sou enorme, mas no meu mundo, minha espécie é a menor, porém, a mais rápida. Minhas escamas são verde-esmeralda, meus olhos são vermelhos como sangue, ainda sou jovem, só cem anos, de acordo com Ela.
            Enfim, eu plano graciosamente ao lado do navio, surgem dezenas de garotos junto com alguns homens.
            Todos eles me olhavam, assustados, alguns, prontos para me atacar, enquanto outros estavam em dúvida se estavam diante de um ser de Aramis ou Mantaquim.
            E vi que estava na hora de assumir minha forma humana.
            Eu me coloco a poucos metros do piso do navio, muitos se aterrorizam com a sombra que eu faço.
            Rapidamente, meu corpo reptiliano se envolve em uma luz branca, no lugar dele, surge um belo corpo humano e feminino.
            Na minha forma humana, meus cabelos são lisos e castanhos com um leve brilho dourado, que vão até a cintura, a pele alva e hidratada, meus olhos cor-de-mel, meu corpo é magro, mas cheio de curvas, e estou usando um deslumbrante vestido verde escuro, desses que só são vistos em princesas e fadas, meu rosto é lindo, e espero não causar ciúmes na moça ruiva, sem falar também que eu já sou comprometida no meu mundo.
            Quando estava totalmente transformada, vi meninos se ajoelharem diante de mim. Pois estava envolta em uma luz discreta.
            – A senhora é uma semideusa? – perguntou um menino, que parece ter uns catorze anos, enquanto os outros pareciam ter certeza de que eu era.
            – Não meu querido – respondi gentilmente – sou apenas uma enviada de uma.
            O menino sorriu para mim, e eu sorri de volta,
            – Procuro por Liriel Galbbiani – eu falei – ela está neste navio?     
            Todos os tripulantes olham para a direção oposta de onde eu estava, e deles, surge uma moça de cabelos avermelhados, bastante intimidada, com roupas masculinas adaptadas para uma jovem.
            – Em que posso ser útil? – perguntou.
            – Não se preocupe, não venho fazer mal algum, pelo contrário, vou ajudá-la – disse com sinceridade.
            – A senhorita diz ser uma enviada de uma semideusa, por acaso é uma fada?
            – Sou apenas uma humilde representante dela, e se fosse uma fada, apenas você e o capitão deste navio conseguiriam me ver, aliás, onde ele está?
            – Estou aqui – disse uma voz masculina grave e firme, típica de um capitão pirata, que surgiu por trás de mim. Era um rapaz negro, forte e bastante seguro de si, mas que estava nervoso, diante de mim.
            – Capitão Galford – disse, com naturalidade – não sabe como estou honrada em conhecê-lo.
O rapaz pareceu se admirar com a forma com a qual eu me referi a ele.
Fizemos as apresentações, mas eu senti que ele ainda não estava convencido do que eu era.
Claro  que eu não o culpo, afinal, quem não estaria assustado ao se deparar com um dragão que se transforma numa bela mulher?
Alguns minutos depois, eu tava perto da proa do navio, sentada em uma cadeira, Snail Galford, Liriel Galbbiani, os tripulantes voltaram a seus afazeres, mas prestavam atenção a nossa conversa.
            O Capitão soube da minha chegada ao navio, ele não viu, mas Oliver Twist, seu primeiro imediato, me viu e  havia convencido-o do meu poder.
            Ainda mais quando eu tranfigurei as cadeiras.
            Após me apresentar formalmente, eles manifestaram suas dúvidas.
            – Uma semideusa que acompanhou a nossa história? – perguntou Liriel, que estava a vontade com a minha presença.
            – Sim, alem dela, muitos semideuses conhecem Nova Éther e seus habitantes, mas Ela tem uma verdadeira adoração por vocês dois.
            – Como assim? – perguntou o capitão – adoração por nós?
-        Pois ela conheceu a história de vocês, desde quando o capitão era um simples recruta do Jamil-coração-de-Crocodilo e Liriel era uma artista de circo, ela acompanhou a trajetória de vocês dois desde a primeira vez que se encontraram.
            Só foi necessário dizer o nome dele para o filho do falecido Capitão Gancho aparecer, amparado por quatro jovens que o carregava, junto de Will, outro pirata que também fazia parte da tripulação, ambos eram escravos do Capitão Galford.
            – Então, essa sua criadora gosta de piratas, se ela gostasse mesmo, teria me poupado desse infortúnio.
            Ela alertou-me sobre isso, por isso, já vim preparada, eu torci o nariz quando olhei para o Jamil, todo acabado.
            – Escute aqui, o Jamil-sem-perna, não foi Ela que criou este mundo, nenhum dos seus habitantes e muito menos você, mas se tivesse sido, Ela teria feito tudo que o seu Criador fez com você, mas não teria cortado apenas a perna e arrancado o olho, pro serviço ficar completo, teria cortado a sua língua!
            Tenho certeza que Jamil teria avançado em mim, se ele pudesse, mas se isso tivesse acontecido, teria voltado a minha forma dracônica, só para cuspir fogo na cara dele.
            Ele voltou para o seu canto e começou a conversar com o Will.
            Continuamos a conversar, eu falei sobre coisas que somente um semideus teria o poder de saber, como a preparação da Liriel, o recrutamento dos garotos órfãos, a tomada do Jolly Rogers e até sobre a corda fria, o que deixou Snail convencido de quem eu era.
           
            O sol estava começando se por, embora quisesse ficar, eu teria que ir.
            Mas era bonito ver os dois, eles estavam afastados em questão de centímetros, e sem dúvida, Ela estava certa quando disse para mim que era um dos casais mais bonitos, pois eram diferentes na aparência, mas iguais no sentimento, assim como outro casal que ela me falou, formado por um lutador tatuado de pele amarela com uma loira com cara de princesa, mas era capitã de uma guarda real de um reino distante.
            Só que a capitã e o lutador já estão juntos e felizes.
            Liriel e Snail, não.
           
            Eu olhei mais uma vez para o horizonte, já estava na hora.
            Levantei-me e disse o que tinha que dizer, senti que Ela já se manifestava em mim.
            – Antes de ir, gostaria de saber, qual o problema de vocês dois? – perguntei, como se quisesse dar uma bronca, mas apesar de ser minha voz, eu senti que não era eu quem estava falando.
            – Que problema? – perguntou ambos em uníssono.
            – Poxa, eu conheço muitos casais, que estão juntos e felizes, vocês também podem ser, mas parece que falta algo.
            Os dois olham para mim, não estavam entendendo mesmo, mas eu esperava por isso, a J também.
            – Liriel – eu disse – me diga uma coisa, o que você está esperando?
            Ela olhou para mim com aqueles olhos verdes enormes.
            – Esperando o quê?
            – Para falar diretamente do que você sente.
            -- E-Eu não estou entendendo.
            – Você passou um tempão jogando indiretas para cima do Galford e sabe muito bem que é você que tem que tomar a iniciativa!
            – Não sei do que você está falando Mari.
-        Há algum tempo atrás, quando você cortou o cabelo, ele reparou e te elogiou.
            Os dois me encararam em silêncio, de boca aberta.
            – Querida, você não faz idéia de como isso é raro, um homem reparar no novo corte de cabelo de uma mulher, ainda mais um homem feito o capitão.
            Snail quis protestar, tava na cara que ele não tinha argumentos, o universo feminino para ele, é tão desconhecido quanto o futuro que escolheu para si.
            Liriel fitou Snail com o rabo-do-olho, e sorriu de leve, ele olhou para mim, chegou a abrir a boca para falar algo, mas eu o fitei, antes que pudesse falar, para que ele veja que não está diante de uma moça qualquer.
            Mas desta vez, eu não estou falando de mim.
            – Eu nem me lembrava disso – disse Liriel, com as bochechas vermelhas.
            – Não importa, vem cá – eu chamei.
            Eu me levantei, ela veio até mim, e nos juntamos como duas mulheres fazem ao falar de um homem.
            – Gosta dele, não é? – murmurei.
            Ela ficou vermelhinha, e o capitão fitou-a, com curiosidade.
            – Bem, às vezes, ele me deixa nervosa, outras, assustada, tem vezes que tenho vontade de enforcá-lo mas, ta difícil disfarçar, ele não faz nada – disse Liriel num tom que beirava a angústia – mas eu gosto dele.
            – Ele não vai tomar a iniciativa Liriel, você sabe disso.
            – Galbbiani, o que está havendo? – perguntou o capitão, a ruiva se assustou.
            Ela deu de ombros, olhou para ele mais uma vez e voltou-se para mim.
            – A Liriel tem uma coisa para te falar.
            Ela me olhou, desesperada, enquanto Snail se aproximava.
            Eu dei três passos para trás e mantive uma distancia estratégica e os dois estavam frente a frente.
            A ruiva tentou dizer alguma coisa, mas não saiu nada além de gemidos.  Liriel não conseguiu dizer nada, mas nesse momento único, palavras não eram necessárias.
            Antes que ele pudesse reagir, ela o abraçou, acabando com qualquer defesa dele, e finalmente o beijou na boca.
            Mas não foi um beijo qualquer, pois eu vi que o capitão teve um pouco de resistência, mas acabou cedendo, e, pensando bem, não me lembro Dela  ter me falado sobre alguma vez em que ele beijou alguém.
            Nossa, só de imaginar que esse deve ser o primeiro beijo dele, já fiquei emocionada.       
            O sol já se pôs, as primeiras estrelas começaram a surgir.
            E uma delas, já brilhava mais que as outras, era uma estrela especial, que só brilha quando momentos como esse acontecem.
            A Romântica Estrela de Blake.
            Nem sei por quanto tempo eu fiquei olhando para aquela estrela, mas pensava no meu parceiro.
            Após o longo beijo, eles se voltaram para mim, Snail Galford sorria largamente, Liriel, mais ainda. Eles estavam de mãos dadas quando eu me aproximei.
           
            E através de mim, Ela disse.

           
            Snail, uma vez, o Criador disse, algumas histórias podem mudar o mundo, a sua história mudou o meu, e para melhor”
            Pois você não é um príncipe encantado que luta Boxe, nem um rei, muito menos um nobre metido a besta.
            Ele se surpreendeu com o que foi dito e sorriu.
            É um garoto de rua que lutou para chegar onde chegou, que, mesmo diante de todos os riscos, seguiu seu caminho, com coragem, sem se afastar do que realmente acredita, e principalmente sem abrir mão do que ama.           
            Tornou-se alguém de quem eu espero tudo, mas que sempre me surpreende, é um sobrenatural, o Simbad.
           
            E Liriel, é a garota que muitas semideusas gostariam de ser, linda, corajosa, faz acrobacias difíceis como quem faz um simples exercício físico, que consegue mexer objetos com a mente e mesmo com suas inseguranças, seus medos, também seguiu em frente.
            Mas poxa vida, de todos  casais que eu acompanhei e vi se formarem vocês foram os únicos que mal se tocaram, e tava na cara que vocês precisavam de um empurrão. Por isso, eu mandei a Mári, pois ela é especialista em unir casais.
            Os dois me olharam como se eu fosse uma obra de arte.
            Espero que não briguem tanto e, fiquem juntos, e saibam que eu estarei olhando por vocês, e se for preciso, tenho um exército de dragonesas e dragões para ajudá-los.
                       
                        E sonhem sempre, quem sabe um dia, nos encontramos pessoalmente.
           
           
Os dois ficaram emocionados, me agradeceram e nos despedimos.
            Eu me afastei, saltei da ponta da proa e voltei a ser a dragonesa, levantei vôo até o alto.
            Finalmente entendi que se fosse outra criação Dela, não teria sido tão perfeito.   
            Afinal, eu tenho experiência juntar casais indecisos.

            Voei alto, mas permaneci planando nos céus de Nova Ether por toda a noite, e voltei para o meu mundo, depois do amanhecer.

24 de março de 2011

E o quarto Livro...

Extra! Extra! Noticia do dia!Publicada a capa do quarto livro da Saga Ciclo da Herança .Para os desinformados de plantão, a saga, do escritor Christopher Paolini, é conhecida como a Jornada do Eragon!

Quem tem mais de 20 anos, com certeza, se lembra da adaptação que fizeram para o cinema.
Para refrescar sua memória
Na época da divulgação do filme, muita gente pensava que ele seria o novo "Harry Potter", mas o filme foi um fiasco de público e crítica, porém, os fãs da saga continuaram fieis.





E finalmente: (Rufem os Tambores)

Acredite, esta é verdadeira, pois peguei diretamente da fonte

Para quem não sabe, Paolini enrolou seus fãs por muitos anos, mas enfim a conclusão está próxima.
O ciclo será completo!
Para Saber mais sobre o Ciclo da Herança, clique aqui.

19 de março de 2011

Poema O olhar do Dragão

Saudações!
Confesso que, apesar de ser leitora assídua, não leio poemas com frequência, mas encontrei este no Portal do Dragão, outro blog que também fala sobre dragões.

O Olhar do Dragão


"Os Dragões nos reconhecem peleos olhos,
não há como enganá-los."

"a profundidade de um olhar...
silencia a voz
apaga o gesto
pára o tempo..

a profundidade de um olhar.. 

solta a verdade
mostra o sentimento
solta a emoção..

a profundidade de um olhar.. 

magia que vem de dentro
grito da alma
no silêncio do olhar." 


não sei se esse poema foi escrito pelo autor(a) do blog, mas seja quem for, está de parabéns.

13 de março de 2011

D. e C.F - Gárgula

Antes de iniciar este post, Agradeço a todos vocês que estão frequentando e gostando deste blog, gente, não faz ideia de como isso me estimula a continuar.
Se você realmente gostou deste ou de qualquer outro post - ou  não - por favor comente.

- Agora, vamos ao que interessa.
A Gárgula, um ser que vivia enroscado no curso do rio, Sena, só tinha como objetivo provocar o mal pois da sua boca aberta, saíam torrentes de água que inundavam a Cidade de Ruão. outra cidade francesa, pra variar.,
Este dragão de água com corpo de serpente coberto de escamas, olhos opacos e asas imundas, um dragão de água de asas imundas, como assim? apenas saia da sua gruta para vomitar trombas de água sobre a região, que inundavam as cidades, os campos e as florestas. Com eta calamidade perpétua. as colheitas ficavam reduzidas a nada e a fome ameaçava a região. Além disso, quem se aproximasse do monstro, era devorado sem piedade.


vem aí, mais uma história de mais um santo que derrota o dragão e salva o dia.
leia também:
Dragão de São Jorge
Tarasca

Sem recursos perante tanta desgraça, o povo da bonita cidade de Ruão recorreu ao seu bispo, Romão, também conhecido como milagreiro. Ele aceitou o trabalho com a condição de ir acompanhado, o único que aceitou foi um condenado a morte, que não tinha nada a perder. Romão prometeu salvar-lhe a vida se conseguissem expulsar o dragão.
Quando se aproximavam do refúgio, a Gargula apareceu de boca aberta, disposta a afogá-los sob a sua ira. No entanto, Romão começou a recitar orações, e ameaçando o dragão com o sinal da cruz. A feroz criatura deixou logo de resistir, limitando-se a cuspir algumas gotas de água nos pés dos homens.
E o santo passou uma corda no pescoço da Gárgula e o condenado conduziu o monstro pelas ruas da cidade, o dragão foi entregue a fúria da população, isto é, foi queimada e suas cinzas foram jogadas no rio Sena.
que Tédio!



Hoje em dia, as gárgulas que conhecemos são aquelas estátuas medonhas, que também tem a utilidade de drenar a água de construções góticas, entre elas, a Catedral de Notre-Dame, em Paris.

11 de março de 2011

Escolas de Samba e Times de Futebol

Saudações... seja lá qual for seu time do coração.
A noticia que venho apresentar a aqueles que não são do Estado de São Paulo.
Como todo mundo sabe, por lá, as torcidas organizadas de times de futebol são bastante fortes, e algumas delas fundaram escolas de Samba.
Todo mundo já ouviu falar da:

Gaviões da Fiel

E da Mancha Verde


Alguém, que me viu escrever este post me pergunta:
"Mas Nath, o que isso tem haver com este blog?"
Em 2012 (o ano do dragão) A Escola de Samba associada a torcida organizada do São Paulo Futebol Clube, vai desfilar no grupo especial, ou seja, vai aparecer na TV, assim como as duas primeiras escolas que citei.


Estou falando de quem?

Dragões da Real. (eu não poderia deixar de falar de uma escola de samba como esta)



Sim, essa foi a grande campeã do grupo de acesso esse ano, e assim como acontece no futebol, ela subiu para o grupo de elite e ano que vem, seu desfile será transmitido pela TV.
A Bandeirantes vai transmitir o desfile das campeãs de São Paulo a partir das 21:45 no sábado.
A Dragões da Real será a primeira a desfilar.
dá tempo de assistir, em seguida, ir pra balada, rsrsrsrss
O mais interessante é que a Gaviões da Fiel e a Mancha Verde também vão desfilar,só que a Gaviões da Fiel será a terceira escola e Mancha Verde, será a penúltima.

Mas isso será um tremendo desafio para os organizadores do desfile, pois Gaviões e Mancha são rivais, por isso, sempre irão desfilar em dias diferentes para não haver confusão, mas em que dia a Dragões  irá Desfilar? 



8 de março de 2011

D. e C. F. - Drac de Beaucaire

De todos os dragões que li nessa coleção, sem duvida, esse é o mais inteligente, cruel, desumano, mas inteligente.
Beucáire é uma bonita aldeia da Provença, localizada na margem direita do Ródano, no departamento francês de Gard, na região de Languedoc-Rossilhão,. Este antigo povoado, fundado no século VI A.C., possui uma grande quantidade de lendas ancestais das quais, a mais famosa é, sem dúvida, a do Drac, o terrível dragão aquático que outrora vivia no Ródano. Escondido nas profundezas do rio, atraía as crianças, fazendo brilhar ouro e pedras preciosas debaixo d'água. O Drac também conseguia tornar-e invisível e assim percorrer as ruas dde Beaucarie para apanhar as presas à vontade. Pobre de quem caísse na armadilha! O Drac Acabava impiedosamente com suas presas.

Uma das lendas...
Um dia, uma jovem lavadeira foi lavar a roupa nas margens do Ródano. Enquanto trabalhava, ouviu uma voz suave que a convidou a aproximar-se da água e, ao olhar, conseguiu ver o brilho de milhares de jóias no fundo... Pô, essa moça não conhece a lenda? E ela começou a ficar com sono, e sob hipnose, ela entrou no rio. Então o Drac pegou-a e levou-a para o fundo, até chegar no seu esconderijo. O Drac não a matou, mas mandou-a cuidar do filho que tivera a pouco tempo com uma donzela COMO O DRAGÃO CONSEGUIU ENGRAVIDAR UMA HUMANA??? Passaram-se assim sete anos, sem que ninguém em Beaucaire fizesse a minima ideia do paradeiro da lavadeira.
Um belo dia, a lavadeira reapareceu na cidade, Entre abraços e manifestações de alegria, a lavadeira retomou a sua vida. Mas depois de algum tempo, na praça do mercado, ela viu o Drac e foi cumprimentá-lo, pô, mas que mulher burra, ela não sabe que era a única pessoa na cidade que conseguia vê-lo?
E o Drac, esse sim, NÃO é burro, percebeu que ela adquiriu o poder de vê-lo, e sem piedade, ele deixou-a cega. Assim, ele pôde levar as crianças  e as donzelas para a cama e fazer mais crianças, durante muitos anos.
Ultimo comentário, esse dragão pode ser cruel, sanguinário, terrivel, e ter infinitos adjetivos ruins, mas ninguém pode negar que se preocupa com os filhos que tem com suas vítimas.